Placas de sinalização. Sua importância para um trânsito seguro e viável

Postado por: Oficina da Multa

Como a adequada instrução em relação às placas de sinalização pode determinar um trânsito seguro? Quais fundamentos legais e simbólicos estão por trás das placas de trânsito?

As placas de sinalização de trânsito são recursos normativos definidos pelo CTB (Código de Trânsito Brasileiro). Este instrumento legal é quem regulamenta o trânsito no país e define, entre outras coisas, as regras básicas do uso das vias.

No conteúdo programático de cursos para primeira habilitação este é um tópico obrigatório. Afinal, não existe condução segura nem trânsito fluido sem o conhecimento das placas de trânsito. Além disto, o desrespeito às determinações implícitas nelas configura infração prevista em lei.

Apesar de parecerem meros acessórios nas vias, sem placas de sinalização a utilização ordenada da via pública seria impossível.  Elas garantem a segurança na circulação não só de veículos, como também de pedestres e ciclistas. Continue lendo o artigo e se torne um usuário de vias mais consciente.

O que são e como localizar placas de sinalização

Como se sabe, o Código de Trânsito é quem define as principais regras de trânsito implantadas no país. Desta forma, com base em suas determinações, a circulação nas vias é regulamentada por meio de instrumentos legalmente instituídos.

São estes instrumentos que garantem aos usuários das vias o conhecimento de sua dinâmica de funcionamento. Informes como limite de velocidade e sentido da via precisam ser reconhecidos instantaneamente. Sendo assim, o requisito de uniformidade e padronização é essencial nestes recursos.

Estes recursos representam-se nas placas de sinalização. São elas que informam o usuário de trânsito quanto aos limites e condição de sua circulação. Comumente denominadas sinalização vertical, elas fazem jus a esta nomenclatura, pois são postas ao lado ou suspensas sobre a via.

De forma sucinta as placas têm por objetivo manter a ordem e a segurança no trânsito. Elas orientam o condutor usando legendas e simbologias previamente determinadas e reconhecidas universalmente.

Elas podem ser vistas na margem das vias de circulação ou suspensas sobre as mesmas. Suas mensagens são rápidas e facilmente captáveis pelos usuários no tráfego. Elas determinam o que o condutor pode ou não fazer, por isso é crucial se atentar às suas determinações.

Portanto, um condutor de veículo jamais pode alegar desconhecer o significado de determinada placa. É exigível que, para a concessão de seu direito de conduzir ele comprove ser capaz de reconhecer qualquer destes símbolos. Quem está pleiteando a primeira CNH sabe que passará por um exame onde precisará comprovar estes conhecimentos. Mas é possível, antes da prova oficial, candidatos testarem seus conhecimentos. São simulados que reproduzem as condições e conteúdos da prova do DETRAN, como sinalização

Reconhecendo os tipos de placas de sinalização no trânsito

As placas de sinalização de trânsito são uma forma de comunicação visual que exige eficiência em sua mensagem. Portanto, elas contam com um projeto gráfico muito simples, que envolve cores, formas e símbolos elementares.

Existem sete categorias de placas de trânsito ao todo, contemplando sete finalidades distintas segundo a variação.  A cada uma das categorias é atribuída também uma cor especifica, que as tornam facilmente reconhecíveis. Entenda esta correspondência:

Cores e simbologia das placas de sinalização

Vermelhas. são placas cujas mensagens indicam proibição, obrigação ou limitação. “Parada obrigatória”, “Dê a preferência” e indicação de limite de velocidade são alguns exemplos.

Amarelas. são placas de advertência. Elas alertam sobre riscos e perigos nas vias que não estão visíveis ao condutor. Declives e aclives à frente, travessia de pedestres e saída e entrada de veículos de carga são exemplos destas placas de sinalização.

Verdes. estas, como o próprio nome diz, dão informes quanto à localização e destino dos condutores. São retangulares e na verdade seus fundos variam em verde, indicando destinos próximos, ou azul, indicando o local exato onde se encontra. A quilometragem também quase sempre é indicada.

Laranjas. são muito comuns para indicação de obras e reformas ocorrendo nas vias. Mas, não é só isso, elas também são usadas para indicar particularidades como lombadas e pistas irregulares.

Azuis. placas de indicação em azul são usadas para informar quanto a serviços disponíveis na localidade. Por meio de pictogramas e ilustrações elas mostram na margem das rodovias a disponibilidade de uma infinidade de serviços, como:

  • Hotéis
  • Restaurantes
  • Postos de abastecimento
  • Hospitais
  • Serviços mecânicos
  • Aeroporto
  • Serviço telefônico

Estes são apenas alguns dos muitos serviços que possuem indicação por meio das placas de sinalização de serviços. Elas são essenciais aos transeuntes que desconhecem a cidade.

Cinza quase branco. Estas são as placas chamadas educativas. Como o próprio nome diz possuem dizeres que incentivam hábitos seguros e preventivos. Desta forma, elas alertam os condutores quanto ao comportamento ideal e seguro no trânsito.

“Use o cinto de segurança”, “não ultrapasse com faixa contínua” e “verifique os freios”, são alguns exemplos de recomendações contidas. Marrom. estas são as placas de atrativos turísticos e facilitam a vida de visitantes e turistas. Indicam com nome e quilometragem a localização dos pontos turísticos da cidade em questão. São muito mais comuns em cidades litorâneas.

As implicações legais por trás da sinalização



A sinalização vertical, assim como outros componentes norteadores de fluxo de tráfego, são imperativos. Ou seja, suas indicações, obrigatoriedades e proibições expressam autoridade.

Contudo, como são determinações de cunho passivo e impessoal, muitos terminam por ignorá-las. Mas, em flagrante descumprimento das normas estabelecidas pelas placas de sinalização o condutor está sujeito a penalizações cabíveis.

O Código de Trânsito define infrações de nível médio, grave e gravíssima para condutores que desrespeitarem a sinalização das vias. Além do pagamento do valor das multas conta-se também com a perda de pontos proporcionais na carteira de habilitação.

Portanto, o ideal a fazer é seguir sempre com o cumprimento do que determina a sinalização. Além de garantir a sua segurança e dos demais usuários evita-se as consequências do desacordo com a lei.

É bom ressaltar que, há casos em que a determinação da sinalização pode ser ignorada. Mas isto só em caso expresso de haver um agente de trânsito orientando de forma diversa. Assim, o condutor deve então se atentar e seguir a orientação manual indicada pelo agente.  

Vale ressaltar que, as deficiências nem sempre partem do condutor. E neste caso é preciso ficar atento aos pormenores. Uma condição alheia, por exemplo, é a ausência ou a má sinalização da via. Neste caso, o descumprimento de qualquer determinação prevista para o trecho não deve ser punido.

Em rodovias é muito comum sinalização desgastada e ilegível. Em outras situações até mesmo encobertas pela vegetação que margeia a via. Desta forma, a orientação de tráfego termina sendo prejudicada, o que pode resultar em graves acidentes.

Portanto, é preciso que o condutor fique atento. Multas aplicadas nestas condições podem e devem ser questionadas. Por isso, para um trânsito seguro é preciso que, além dos condutores, os órgãos responsáveis também façam sua parte.

Algumas placas importantes e seus significados



É bem verdade que o número de placas de sinalização que existe é imenso. De tal forma que, memorizar todos eles pode ser uma tarefa nada fácil. Principalmente para condutores ocasionais e/ou de curtas distâncias, que geralmente não se deparam com muitas variações das mesmas.

Mas, há placas cujo significado deve estar sempre na ponta da língua. Seja o motorista recém-habilitado ou veterano, alguns símbolos não podem jamais fugir à memória, sob risco de acidentes ou penalizações. São de conhecimento obrigatório, exigido a todos os usuários das vias. Exemplos:

Placas de regulamentação

Parada obrigatória R-1

Esta é uma das mais conhecidas, em forma octogonal, fundo vermelho com dizeres em branco “PARE”. São utilizadas para obrigar uma parada e não mera redução de velocidade, como em cruzamentos sem sinalização semafórica.

Dê a preferência R-2

Também muito conhecida, é simbolizada por um triângulo invertido em vermelho. Define que o condutor dê preferência de passagem ao veículo que vem da vida onde ele pretende entrar ou cruzar. Não é obrigatório parar, sendo muito vezes indicado. Porém, a redução da velocidade já favorece em muitos casos.

Proibido estacionar R-6a, R-6b, R-6c

Muita utilizada, essa placa indica a proibição de estacionar o veículo na face de quadra onde se encontre. Sua configuração é em círculo vermelho, contendo um “E” cortado diagonalmente.

Suas variações são o estacionamento regulamentado, onde é possível a ação segundo especificidades. Assim como a proibição de parar e estacionar simultaneamente, que remete ao mesmo “E”, porém cortado em “x”.

Proibido virar à esquerda ou à direita R-4a, R4b

Reta curvilínea para esquerda e direita cortadas, indicando que é proibido conversão neste ou naquele sentido. Isso tem como base o comprometimento da fluidez da vida de onde o veículo sai e para onde pretende ir.

Placas de advertência

Curva acentuada à esquerda ou à direita A-1a, A-1b

Ambas em losangos de fundo amarelo com setas curvas indicando o sentido. Elas advertem o motorista a fim de que ele possa reduzir a velocidade em tempo.

Aclive ou declive acentuado A-20a, A-20b

Indicam ao motorista que há aclive ou declive acentuado, subida e descida, respectivamente logo à frente.

Crianças a-34

Bem característica, esta sinalização indica que o motorista deve redobrar sua atenção. A orientação é diminuir a velocidade pois há áreas próximas com crianças. Expostas em áreas de lazer, como praça e parques, alertam sobre a possibilidade de uma criança surpreender em uma travessia inesperada.

Área com desmoronamento A-27

Nesta teremos a informação de uma possibilidade. É possível que em áreas à frente haja risco de desmoronamento. Portanto, o motorista precisa dirigir com cautela e velocidade reduzida.

As vidas no trânsito e a importância da direção defensiva

O número de mortes no trânsito é alarmante. Todos os dias dezenas de pessoas perdem a vida nas vias públicas. O pior de tudo é que a maior responsável por isso é a imprudência ao volante.

Mesmo com intensas campanhas publicitárias, reforços de agentes nas ruas e Lei Seca, o Brasil ainda tem muito a avançar. Ainda estamos longe de sermos exemplo no trânsito.

O número de carros nas ruas cresce num ritmo vertiginoso. E com isso são mais condutores nas ruas a cada ano que passa. Juntando a isto cidades se expandindo sem o devido planejamento, o que se esperar do trânsito?

Uma vez que todos os outros fatores são incontroláveis, só se pode contar com o condutor. É ele quem precisa ser responsável ao sentar ao volante e ter a consciência de que automóveis carregam vida.

A direção defensiva precisa ser assumida a todo custo. E nesta atitude está a atenção às placas de sinalização. Não são poucos os acidentes sofridos por conta de desrespeito à sinalização das vias.

Quantos cruzamentos, ultrapassagens e conversões expressamente proibidas pelas placas expostas foram realizados resultando em mortes? No trânsito tudo é uma questão de fração de segundos, entre parar e seguir, reduzir e avançar. Portanto, o melhor é contar com a sensatez e a responsabilidade.

Aos recém habilitados o conselho é de atenção triplicada. Sem muita experiência, pode parecer complicado ter em mente tanta coisa. Mas, com o passar do tempo tudo é absorvido e os conceitos de sinalização serão inteiramente assimilados.

Para quem já dirige, mas é deficiente neste quesito, melhor procurar uma reciclagem. Acredite, isso pode salvar vidas e é um compromisso que apenas você pode assumir por si.

Aprendendo sobre placas de sinalização

Se você acabou de pegar sua CNH, já possui ou pensa em ter, mas teme o assunto sinalização viária, calma! Há sites muito bons que disponibilizam conteúdo de maneira gratuita.

Você pode acessar conteúdos de maneira muito intuitiva e prática. Todas as placas estão expostas em seu formato e apresentação fidedignos. Há informes quanto ao código da mesma e seu significado, facilitando a assimilação.

O ideal é ter em mente primeiramente as cores e a representação de suas categorias. Após isto se voltar para figuras e pictogramas, onde boa parte são de imediata interpretação.

Um condutor que conhece placas de sinalização viária diminui muito os riscos de se envolver em acidentes. Temos vida no trânsito e elas precisam ser preservadas.

O melhor não é chegar mais rápido, o melhor é chegar vivo.

Se você precisa de ajuda para recorrer de sua multa, faça uma consulta gratuita do seu caso.

Você pode entrar em contato enviando um email para [email protected]

Se este artigo foi útil, deixe sua avaliação abaixo e compartilhe!

Postado por: Oficina da Multa

Gostou deste artigo? Compartilhe!

Leia também: